AMOTINADOS

29.11.09

Muros


Sou um encanecido verme urbano. Rastejo por avenidas e ruas em busca do nada. Penetro em repartições, igrejas e templos. Transporto e propago a angústia. Ser invisível em horizonte brumoso. Átomo vulgar, reviro o civilizado esterco. Muros e prédios, favelas e fábricas. Kafkiano inseto nos destroços insidiosos do mundo. (D. Álvares)

Nenhum comentário:

Postar um comentário